Pular Links de NavegaçãoPágina inicial | Mídia | Fique de olho |

Fique de olho
Publicado em 2/6/2015 11:42:31

EDUCAÇÃO

CRP SP também na luta pela inserção das(os) Psicólogas(os) na Educação

Em 28 de maio próximo passado, o Conselho Regional de Psicologia de São Paulo, em parceria com a Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, o Conselho Federal de Psicologia, O Conselho Federal de Serviço Social e a Associação Brasileira de Ensino de Psicologia, esteve presente à Audiência com o Deputado Glauber Braga, da Comissão de Constituição e Justiça e relator do Projeto de Lei Federal 3688/2000, de autoria do deputado José Carlos Elias. O referido projeto de lei dispõe sobre a prestação de serviços de psicologia e de assistência social nas redes públicas de educação básica, conforme o substitutivo proposto em 2007 e que, na ocasião, recebeu relevantes contribuições das referidas entidades para a redação do texto substitutivo. Na audiência, a representante do Conselho Regional de Psicologia de SP, a conselheira Mirnamar Pinto da Fonseca Pagliuso entregou ao deputado Glauber Braga os documentos produzidos pelo CRP-SP referentes a psicologia e ao papel da(o) psicóloga (o) na educação e explicitou que este regional vem participando desde o início dessa luta com as outras entidades.

Sensível ao pedido das entidades, o referido parlamentar apresentou já no dia seguinte o seu parecer favorável a aprovação do referido Projeto de lei. Na sequência, o mesmo deverá ser submetido a aprovação da CCJ e caso seja aprovado, seguirá para a plenária da Câmara dos Deputados, para posteriormente ir para a sanção da presidente Dilma Rousseff.

É fundamental que todas(os) psicólogas/os do estado de São Paulo e do país estejam mobilizados para a aprovação, e acompanhem os próximos passos para juntos irmos à Brasília defender a inclusão da(o) psicóloga(o) nas redes públicas da educação básica. A psicologia tem muito à contribuir com o processo ensino-aprendizagem em sua complexidade e com uma educação pública qualificada, que garanta o acesso de todos e todas.