Pular Links de NavegaçãoPágina inicial | O Conselho | Projetos Integradores

Projetos Integradores

O CRP SP está implantando uma nova forma de gestão. As ações da entidade passam a ter o modelo de gestão por projetos, seguindo as diretrizes do Planejamento Estratégico 2012, realizado entre setembro do ano passado e janeiro deste ano. Foram definidos seis projetos integradores, que deverão orientar as ações do Conselho visando à garantia do efetivo exercício profissional, a descentralização dos serviços, o fortalecimento das subsedes e, sobretudo, uma abordagem dos temas ligados à Psicologia, sob uma perspectiva intersetorial e cada vez mais referenciada em situações do cotidiano.

Dentro deste novo modelo, grande parte das Comissões Temáticas e dos Grupos de Trabalho deixam de existir. As ações passam a ser realizadas por grupos reunidos em torno de cada um dos seis projetos integradores, sob a coordenação de um(a) conselheiro(a). "A gestão por projetos é largamente adotada em outras áreas e nós entendemos que ela poderia trazer um salto de qualidade para a atuação do Conselho", afirma a presidenta Carla Biancha Angelucci. Segundo ela, o modelo anterior mesclava áreas temáticas da profissão com recortes populacionais - ao tratar, por exemplo, de questões como Criança e Adolescente, Sexualidade e Gênero - o que facilitava o aprofundamento dos temas, mas também possibilitava um processo de isolamento e fragmentação das discussões, típicos do trabalho por áreas.

"Faltava, internamente, algo pelo que nós temos lutado em outras frentes: uma abordagem intersetorial. O que nós queremos, portanto, é, sem abrir mão do conhecimento aprofundado, produzir novos olhares e permitir uma articulação mais efetiva com as questões vividas no dia a dia profissional, sempre marcado pela complexidade de experiências e múltiplas relações entre campos de saber", diz.

Vale dizer que, ao longo do planejamento estratégico 2012, foram definidos objetivos, planos tático-operacionais e resultados estratégicos a serem alcançados para cada um dos projetos integradores. O objetivo geral foi o de ampliar impactos e diálogos com os(as) psicólogos(as), com o Estado nas suas três esferas (Legislativo, Executivo e Judiciário) e com a sociedade. Em 2013, dois Projetos Integradores foram unidos.

Confira abaixo quais são os cinco projetos integradores e seus principais objetivos:

Democratização e Participação - Em 2013, este projeto integrador é a junção dos projetos Regionalização e Sistema Conselhos. Ele visa aprimorar o funcionamento do CRP SP, com o objetivo de garantir condições mais adequadas de prestação de serviços aos (às) usuários (as), de forma a ampliar o alcance da atuação do Conselho junto aos (às) profissionais e à sociedade. A partir de métodos e agendas diversificadas, este projeto pretende também intensificar a participação de áreas e campos de atuação de psicólogos (as) nos espaços de construção das posições do Sistema Conselhos. A responsável é a Conselheira Maria de Fátima Nassif.

Interfaces com a Justiça - Articula todos os temas relacionados à rede de garantia de direitos (sistema prisional, adolescentes em conflito com a lei, escuta de crianças e adolescentes envolvidos em situação de violência, atuação de psicólogos(as) no Judiciário, parcerias do CRP SP com Ministério Público e Defensoria Pública, etc. A responsável é a Rita de Cássia Oliviera Assunção e o co-responsável é o Conselheiro José Ricardo Portela.

Mundo do Trabalho - Os Conselhos de Psicologia são responsáveis por assegurar a qualidade profissional dos serviços psicológicos prestados à população. As condições e relações de trabalho nas quais se dá essa oferta de serviços podem prejudicar o exercício profissional. O objetivo deste projeto é identificar essas situações e aprimorar as referências para a atuação psicológica no contexto do Trabalho, bem como propor diálogo com as instâncias legais, sindicais e entidades da Psicologia, a fim de que sejam garantidas condições para o efetivo exercício profissional. O responsável é o Conselheiro Joari Aparecido Soares de Carvalho e a co-responsável é a Camila de Freitas Teodoro.

Medicalização, Judicialização e Patologização da Vida - Estes são exemplos de questões sociais que são artificialmente transformadas em problemas individuais. As soluções usualmente adotadas pela sociedade são consideradas pela Psicologia como adoecedoras e, muitas vezes, criminalizantes. O projeto visa discutir com os (as) psicólogos(as) o impacto desses processos sobre o exercício profissional e sobre a qualidade de vida da população, bem como criar mecanismos de intervenção junto à sociedade e aos poderes legislativo, executivo e judiciário. O responsável é o Conselheiro Luis Fernando de Oliveira Saraiva e o co-responsável é o Conselheiro Luiz Tadeu Pessutto.

Proposição de Políticas Públicas - O objetivo é publicizar posicionamentos consolidados e referências constituídas pelos Conselhos em torno de políticas públicas. Mostrar para instituições como o Judiciário, o Legislativo e o Executivo o que a Psicologia já tem de reflexão sobre temas (em áreas como saúde e educação, por exemplo) e como ela propõe que estas situações sejam trabalhadas. O responsável é o Conselheiro Cássio Rogério Dias Lemos Figueiredo e as co-responsáveis são as Conselheira Marília Capponi e Tereza Cristina Lara.